Время  5 часов 28 минут

Координаты 7346

Uploaded 23 ноября 2014 г.

Recorded ноября 2014

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1 039 m
652 m
0
4,5
8,9
17,87 km

Просмотрено 10768 раз(а), скачено 288 раз(а)

рядом с  Merujal, Aveiro (Portugal)

Mais uma caminhada, desta feita na Serra da Freita. O destino era o parque de campismo do Merujal, mas não foi fácil...o nevoeiro dificultou bastante a viagem. Lá chegámos e iniciámos a caminhada. Um repetição(a das escarpas da Mizarela) para mim e novidade para os companheiros de caminhada. Pouco depois de começarmos começou a chover e isso tornou o percurso ainda mais complicado. o 1º vislumbre da Mizarela acontece no Miradouro, onde também conseguimos ver a queda de água da ribeira da Castanheira. Lá seguimos percurso, mas rapidamente fazemos um desvio. Apesar das condições decidimos descer até ao Rio Caima. Não foi fácil, alguns sustos pelo meio, mas valeu a pena. Simplesmente fantástico. Nem as fotos conseguem descrever. Fotos tiradas e filmagem efetuado e toca a subir de regresso ao trilho. 300 metros escorregadios a 27% de inclinação. Continuámos o percurso sempre com a Mizarela ao nosso lado, com algumas quedas, umas quantas ameaças até chegarmos à aldeia da Ribeira. Depois toca a subir. Mais 1,7 km a 17%, com muita água, muita pedra escorregadia, com várias quedas de água e a Mizarela esplendorosa lá ao longe. Entre pedras e animais lá entrámos na parte do PR15, que nos levou até às Pedras Parideiras. Mas o percurso não foi nada fácil. Fotos tiradas e mais uma subida de 1km a 10 %. Já cansados pelo percurso técnico das escarpas da Mizarela lá fomos em direção ao ponto de partida. Valeu a pena.

Serra da Freita

A Serra da Freita, constitui, com a da Arada e do Arestal, o maciço da Gralheira. Com picos que ultrapassam os 1000 metros de altitude é dominantemente recoberta por um manto de plantas e arbustos rasteiros entrecortado, sobretudo junto às linhas de água, por típicos corredores de folhosas e, aqui e além, por manchas de resinosas. Compõem o referido manto vegetal a urze, a giesta, o tojo, a carqueja, para além de muitas outras espécies, que conferem às encostas da Serra, durante a Primavera, um intenso colorido amarelo, primeiro, e multicor, depois, transformando o belo agreste serrano numa paisagem de sonho. A Freita é também habitat de espécies vegetais extremamente raras que obrigam todos os que a fruem a terem os maiores cuidados, de modo a evitar a sua extinção. A sua fauna é também muito diversificada, nela se realçando o Javali, a Águia de Asa Redonda, o Gato Bravo e, cada vez mais raro, o Lobo Ibérico.

Rio Caima

O rio Caima inicia-se na Serra da Freita, a nascente da aldeia de Albergaria da Serra, próximo do Junqueiro, onde se dá a junção de vários riachos e linhas de água que nascem, borbulhando, misteriosamente, do ventre do planalto e por este escorrem até confluírem num só. Com uma extensão de cerca de 50 Km, corre por entre relevo áspero e imponente, despenha-se das escarpas da Mizarela, prossegue por sucessivas e belíssimas cascatas até ao lugar da Ribeira, cujos campos, em socalcos, rega e daí prossegue até entrar no Município de Vale de Cambra e, depois, no de Oliveira de Azeméis, regando terras e movendo fábricas, até entregar as suas águas, no Rio Vouga, em Sernadas, Albergaria-a-Velha. Ao longo do seu curso, na descida da Serra, recortando a paisagem, cavou vales profundos e encaixados, cobertos de espesso arvoredo, grande parte dele autóctone. Nele desaguam as belas, rebeldes e tumultuosas ribeiras dos Cabaços e da Castanheira, as quais engrossam, em muito, o seu caudal.

Aldeia da Mizarela

Pequena aldeia pertencente à freguesia de Albergaria da Serra. É seu principal atractivo, para além do Rio Caima, a Frecha da Mizarela, que aí se forma. Uma das quedas de água de maior altura da Europa, com mais de 60 metros, que, sobretudo em determinadas épocas do ano, proporciona ao visitante um cenário de excepcional beleza. Para os amantes dos desportos de aventura, as suas escarpas são um óptimo local de escalada, servindo, muitas vezes, para a respectiva iniciação e como preparação para provas mais arrojadas.

Aldeia da Ribeira

Na margem direita do rio Caima, encontra-se a secular, recôndita e bela aldeia da Ribeira, pertencente também à freguesia de Albergaria da Serra. Nesta pequena aldeia é possível contemplar ainda alguns moinhos de água, que no passado trabalhavam dia e noite para dar alimento a todos os habitantes do planalto que, por falta de água na época estival, se viam impedidos de moer o seu pão. As suas casas, construídas, em grande parte, com materiais da região, dissimulam-se suavemente em toda envolvente natural e construída, dando, do conjunto, uma imagem de grande beleza.

Pedras Parideiras
É um fenómeno espantoso, talvez único em todo o planeta. Ao que se sabe, idêntico fenómeno só será conhecido na região da S. Petersburgo, na Rússia. Na aldeia de Castanheira, próxima da famosa Frecha da Mijarela ou Mizarel e de Arouca, em plena serra da Freita, aqui em Portugal, há pedras a parir pedra. O povo da região chama-lhes as pedras parideiras. E há quem diga que elas parem desde o princípio do Mundo.
Trata-se de um afloramento granítico que tem incrustados nódulos envolvidos por uma capa de biotite em forma de disco biconvexo.
As pedras parideiras são rochas graníticas com numerosos nódulos de coloração dourada que, em determinadas circunstâncias de temperatura, se destacam da rocha-mãe, jazendo então no solo às centenas.
Na linguagem popular as pedras parem outras e daí o nome de pedras parideiras.
Os nódulos com a forma de discos circulares ou medalhões, têm contornos bastante regulares, mais ou menos circulares, com superfície lisa e forma típica biconvexa. Este fenómeno atrai a este lugar muitos curiosos e alguns estudiosos.

Albergaria da Serra

Albergaria da Serra é uma freguesia rural do concelho de Arouca e distrito de Aveiro, está situada junto da Serra da Freita rodeada por uma extrema beleza natural, perto da aldeia nasce o rio Caima, bem proximo existe o lugar da Mizarela onde se encontra a célebre frecha ou fisga da Mizarela (queda de água), com cerca de 70 metros de altura, a maior de Portugal e das mais imponentes da Europa.
O turismo começa a ter alguns frutos nesta freguesia, uma vez que os seus locais de campismo são, já desde alguns anos, bastante procurados e frequentados.
Curiosas são também as famosas "Pedras Parideiras", grandes escarpas que "largam" constantemente, lascas de pedras, por isso denominadas de "parideiras". Os habitantes desta freguesia dedicam-se, desde tempos muito remotos, à agricultura e à pastorícia, essencialmente, ocupando-se do pastoreio de ovelhas, cabras e vacas e cultivando algum milho e centeio no Verão.


Altitudes
Parque de Campismo – 890m
Mizarela – 915m
Miradouro natural – 800m
Ribeira – 650m
Escola de Escalada – 960m

View more external

LAP001
LAP002
LAP006
LAP007
LAP008
LAP009
LAP011
LAP012
O quartzo é o mais abundante mineral da Terra (aproximadamente 12% vol.). Possui estrutura cristalina trigonal composta por tetraedros de sílica (dióxido de silício, SiO2), pertencendo ao grupo dos tectossilicatos. O seu hábito cristalino é um prisma de seis lados que termina em pirâmides de seis lados, embora frequentemente distorcidas e ainda colunar, em agrupamentos paralelos, em formas maciças (compacta, fibrosa, granular, criptocristalina), maclas com diversos pseudomorfos. É classificado como tendo dureza 7 na Escala de Mohs. Apresenta as mais diversas cores(alocromático) conforme as variedades.
LAP014
LAP015
LAP016
LAP018
LAP019
LAP021
LAP022
LAP026
LAP027
LAP028
LAP030
LAP032

4 комментарийиев

You can or this trail