Скачать

Расстояние

17,33 км

Набор высоты

29 м

Техническая сложность

Низкая

Потеря высоты

29 м

Макс. высота

30 м

Trailrank

54

Мин. подъем

-2 м

Тип маршрута

Круговой

Время

5 часов 8 минут

Координаты

1363

Загружено

17 июля 2021 г.

Записано

июля 2021
Будьте первым, кто выразит признание
Поделиться
-
-
30 м
-2 м
17,33 км

Просмотрено 110 раз, скачано 3 раз

рядом с Palheiros da Vagueira, Aveiro (Portugal)

O percurso aqui partilhado pode conter erros de GPS ou eventualmente passar por propriedades privadas, ou mesmo através de corta mato e ter passagens por locais que podem ser perigosos para os menos experientes. A descrição do percurso é efetuada à data da sua realização, pelo que se deve ter em atenção que as condições do trilho podem facilmente vir a alterar-se, quer pelas condições meteorológicas, quer por mudança da vegetação, quer por outros fatores inimputáveis à minha vontade. O grau de dificuldade e as condições técnicas atribuídas é baseado na minha experiência pessoal e apenas serve de referência, pelo que não me responsabilizo por qualquer acidente que possa ocorrer por influência ou utilização do percurso aqui disponibilizado.


CANAL DE MIRA

- Trilho desenhado para ser percorrido de forma descontraída, tirando partido da temperatura mais fresca junta à linha costeira (em dias quentes de verão);
- Este trilho desenvolve-se entre a Ria de Aveiro, o mar (praias) e a Mata Nacional, percorrendo ruas e caminhos da Gafanha da Boa Hora, o Canal de Mira e as praias da Vagueira e do Areão (numa primeira parte), regressando ao Canal de Mira e à Gafanha da Boa Hora, para terminar num percurso que percorre parte da Mata Nacional, através do Perímetro Florestal das Dunas de Vagos;
- Tem início e fim no Parque de Merendas da Vagueira (opcional), junto ao Parque da Orbitur;
- Trilho circular, sem marcações, apenas com indicações nos troços coincidentes com a Grande Rota da Ria de Aveiro (placas informativas e indicações da quilometragem percorrida, painéis informativos sobre biodiversidade e painéis informativos sobre pontos de interesse);
- Neste percurso existem alguns pontos de referência, com destaque para o Cais da Vagueira e o Canal de Mira, as praias da Vagueira e do Areão, assim como o seu conjunto dunar, o Circuito Ambiental da Gafanha da Boa Hora e, por fim, a Mata Nacional (Perímetro Florestal das Dunas de Vagos);
- Misto de caminhos de terra batida, ruas alcatroadas, areia (praias) e caminhos arenosos florestais;
- Trilho com características fáceis, tendo em conta a distância percorrida, assim como o facto de não apresentar declives nem passagens técnicas;
- A Ria de Aveiro, que é também a foz do rio Vouga, é uma das mais belas paisagens de costa em Portugal. As suas águas ramificam-se num sem número de canais de terreno baixo, onde coexistem ilhas e ilhotas, dando início à formação da Ria tal como a conhecemos. Com uma extensão de 45 quilómetros e uma largura, de aproximadamente 11 quilómetros, no sentido este-oeste, tem uma foz que envolve 11 mil hectares, dos quais, mais de seis mil estão permanentemente cobertos de água. A única ligação que existe com o mar é o canal que quebra o cordão litoral da Barra de São Jacinto, e que permite o acesso de embarcações;
- O Perímetro Florestal das Dunas de Vagos é uma área florestada para conter a fúria dos ventos do Atlântico, fixar o cordão dunar e proteger as terras férteis a nascente, banhadas pelo Rio Boco. Esta área está incluída na Rede Natura 2000 (Sítio de Interesse Comunitário Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas) e nele encontram-se habitats dunares de elevado interesse para a conservação;
- Este trilho é um percurso acessível. No entanto, se chover, as dificuldades serão acrescidas, com os caminhos de terra a transformarem-se rapidamente em longos troços de lama;
- No seu todo, é um percurso descontraído e interessante, pois alia a paisagem da ria, ao longo do Canal de Mira, com as extensas praias da Vagueira e do Areão. E no final, a Mata Nacional (Perímetro Florestal das Dunas de Vagos), uma extensa mancha de pinhal, fresca e com características muito especiais, farão, com certeza, as delícias de quem opte por uma descontraída caminhada nesta belíssima região.


PRAIA DO AREÃO

Outros percursos realizados nesta região:
GR57_ETAPA 1: de Aveiro ao Santuário de Nª Srª de Vagos
GR57_ETAPA 2: do Santuário de Nª Srª de Vagos ao Forte da Barra (ferryboat)
Da Barrinha de Mira à Praia do Poço da Cruz
De Aveiro a Cacia pelos passadiços
Da Barrinha à Lagoa de Mira
Volta à Pateira de Fermentelos
Pateira de Frossos, Albergaria-a-Velha - Aveiro


PARQUE DE MERENDAS DA VAGUEIRA

- RIA DE AVEIRO
Abrangendo um conjunto de onze concelhos - Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ovar, Sever do Vouga e Vagos - o território da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro apresenta caraterísticas diferentes e únicas, comparativamente a outras regiões do país.
Há, porém, uma formação, que devido à sua dimensão e diferenciação geomorfológica com o restante território nacional, marca fortemente toda a região: a Ria de Aveiro.
A Ria de Aveiro é a unidade territorial mais extensa e mais marcante de toda a região, visto que interrompe a uniformidade de uma faixa costeira que, com o seu largo areal apoiado por uma extensa zona dunar revestida por um denso e coberto arbóreo, se estende de Esmoriz ao Cabo Mondego. A Ria de Aveiro quebra esta monotonia, criando duas estreitas faixas arenosas e dunares, que são antecedidas do lado continental por espelhos de água e canais aquáticos, que no seu conjunto formam um ramificado labirinto hídrico que penetra profundamente para nascente.
A Ria de Aveiro formou-se no século XVI, como resultado de um recuo do mar e, posteriormente, uma formação de cordões litorais e que originaram uma laguna. Constituiu-se assim um dos mais importantes e maiores acidentes geográficos da costa portuguesa. Mas tal nunca teria sido possível sem a existência do rio Vouga, que nasce na Serra da Lapa, mais concretamente, no Chafariz da Lapa, em Viseu. Ao longo do seu percurso, o Vouga vai distribuído riquezas pelas terras onde passa. Mas é depois de passar a vila de Cacia, no distrito de Aveiro, que as suas águas se ramificam num sem número de canais de terreno baixo, onde coexistem ilhas e ilhotas, dando início à formação da Ria tal como a conhecemos.
A Ria, que é também a foz do rio Vouga, é uma das mais belas paisagens de costa em Portugal.
A sua extensão de 45 quilómetros e a sua largura, de aproximadamente 11 quilómetros, no sentido este-oeste, tem uma foz que envolve 11 mil hectares, dos quais, mais de seis mil estão permanentemente cobertos de água. A única ligação que existe com o mar é o canal que quebra o cordão litoral da Barra de São Jacinto, e que permite o acesso de embarcações. A Ria, que ao afastar terras as junta, ao mesmo tempo, numa grande e forte união entre as gentes, tem um papel fundamental na agregação do território e do seu desenvolvimento.
Esta Ria, que parece ter pensado em tudo, salvaguarda a harmonia entre o Homem e a Natureza. Toda a sua bacia hidrográfica apresenta uma grande biodiversidade. A fauna e a flora fazem renascer a região todos os dias. As aves migratórias, que facilmente podem ser observadas, são o exemplo do poder natural da Ria. Garças e flamingos salpicam de cor as águas e apaixonam os observadores, não só pelos seus gestos naturais, mas também pelo reflexo que espelham nas águas. A abundância de peixes e aves aquáticas dá aos amantes da pesca e da caça o palco ideal para a prática destas atividades. A miríade de canais, por onde as águas da Ria serpenteiam, permitem as melhores condições para a prática de desportos náuticos.
As salinas garantem, como há centenas de anos, o tratamento e comercialização de sal, inerente à sobrevivência do homem. O mesmo se aplica à agricultura subjacente à fertilidade das terras, que só poderia ser possível graças à abundância de água. O Homem, contudo, grato pelas dádivas que recebe, usa o respeito e a admiração pela Ria como moeda de troca. Se ela muito lhe dá, ele trata de a proteger e promover. Fá-lo através da admiração expressa no artesanato, onde põe todo o carinho e beleza da Ria. E fá-lo também através de programas de proteção e preservação do território, como os projetos da POLIS, que permitem um outro usufruto deste território.
Da Ria nasceu e multiplicou-se um conjunto de setores indispensáveis ao desenvolvimento da região. A Ria, que divide a terra, fê-lo para agregar mais profundamente o povo, fazendo-o crescer e desenvolver-se, urbanamente, comercialmente e, claro, humanamente. E o mesmo se passou com a natureza. Visite a Ria e faça parte desta família!


RIA DE AVEIRO (CANAL DE MIRA)

- PRAIA DA VAGUEIRA
Localizada na Gafanha da Vagueira, na freguesia da Gafanha da Boa Hora, no concelho de Vagos, a Praia da Vagueira situa-se na região Centro Litoral, a sul da Praia da Costa Nova e a norte da Praia do Areão. Está protegida por pedras que formam um paredão à volta da grande extensão de areia, estando ainda rodeada por alguma vegetação e dunas. Nesta zona, a orla costeira é constituída por um cordão dunar que delimita a zona húmida da ria de Aveiro. Quer a norte, quer a sul do centro urbano da Praia da Vagueira, encontram-se as dunas frontais e posteriores a estas surge a vegetação herbácea característica, desenvolvendo-se para o interior o pinhal. O pinhal encontra-se fragmentado nalgumas áreas agrícolas próximas às margens dos canais da ria de Aveiro.
A norte, o extenso areal da Praia da Vagueira ainda hoje é utilizado por pescadores que desenvolvem a sua faina de forma artesanal, “Arte Xávega” (que consiste numa pesca feita por arrasto, cuja tradição se tem vindo a perder), embora as juntas de bois que utilizavam para puxar as redes carregadas de peixe tenham sido substituídas por tratores. Este é um ponto de atracção turística da Praia.
Também os banhistas procuram esta praia, que no verão regista grande afluência, sobretudo a zona mais abrigada dos ventos fortes, junto ao pontão. O mar batido, ao gosto dos surfistas, não é muito perigoso. A praia beneficia de bandeira azul e possui uma área de restaurante, parque de estacionamento gratuito, chuveiros e acesso pedonal facilitado pela existência de passadeiras de madeira.
Durante os meses de verão há nesta praia diversos tipos de animação, nomeadamente uma biblioteca de praia, ateliês lúdicos, mostra de artes e ofícios, espetáculos musicais e de teatro, entre outros.


PRAIA DA VAGUEIRA (PRAIA NOVA)

- AVEIRO
Junto à Ria, vasta bacia lagunar onde as águas doces do rio Vouga se misturam com as águas do mar, Aveiro, cortada por ruas aquáticas onde deslizam os coloridos barcos moliceiros, é uma das cidades mais interessantes do litoral português.
A sua fundação terá ocorrido ao tempo do imperador romano Marco Aurélio. Devido à existência de numerosas aves palmípedes que povoavam esta área lagunar, o seu primeiro nome terá sido Aviarium.
D. João I (r.1383-1433) doou a povoação a seu filho, o infante D. Pedro que ordenou a construção das suas primeiras muralhas, entretanto desaparecidas. Mais tarde, D. João II (r. 1481-1495), fez dela doação a sua irmã, a Infanta D. Joana, recolhida no convento de Jesus, que hoje é o Museu de Aveiro.
No séc. XVI, o desenvolvimento da indústria do sal, da agricultura e da pesca e as primeiras campanhas de pesca na longínqua Terra Nova em 1501 trouxeram a Aveiro uma época de prosperidade que lhe valeu o foral de 1515, outorgado pelo rei D. Manuel I. Porém, no Inverno de 1575, fortes tempestades destruíram o profundo canal de comunicação entre a ria e o mar, por onde transitavam os grandes navios que aportavam em Aveiro, destruindo o comércio marítimo, a pesca e a actividade salineira.
No séc. XIX foi construída a Barra Nova. A sua abertura para o Oceano, em 1808, originou a formação de um largo canal de com cerca de 264 m de largura e entre 4 e 6 de profundidade, que abriu a Ria para o mar reconstituindo a fonte da vida e da sobrevivência da região.
A Ria comunica com Aveiro através de 3 canais: o das Pirâmides (marcado à entrada por duas pirâmides de pedra), que se prolonga no canal Central, o canal de São Roque, que limita a cidade a Noroeste e a separa das salinas; e o canal dos Santos Mártires (ou do Paraíso) que corre para Sudoeste.
A partir do canal Central eixo de referência da cidade, pode construir dois itinerários em Aveiro: - na Margem Esquerda, veja os graciosos edifícios Arte Nova, reflectidos no canal, deambule pelo Mercado do Peixe, pelo bairro da Beira Mar e junto das margens dos canais absorvendo a brisa leve da maresia; - na Margem Direita, visite o Museu de Aveiro, no Convento de Jesus. Monumentos e igrejas, uma vida citadina que se move sob a luz translúcida da Ria completam a sedução desta cidade litoral.
Evidentemente que é indispensável conhecer a Ria de Aveiro. Nos dois circuitos propostos ficará a conhecer o labirinto dos canais, as dunas brancas junto ao mar, as extensões imensas de marinhas com as suas pirâmides de sal. Se gosta de passear a pé pela Natureza, a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto, é uma proposta irrecusável.


MATA NACIONAL (PERÍMETRO FLORESTAL DAS DUNAS DE VAGOS)
Мост

Ponte e Cais da Vagueira

Perto da ponte sobre o Canal de Mira, na povoação da Vagueira, fundou-se este pequeno cais de grande importância local para os pescadores que realizam a sua faina na Ria. Hoje em dia, as embarcações de pesca ancoradas no canal ou arrojadas no areal da margem convivem com os barcos de recreio atracados no cais junto à estrada. Os Guinchos-comuns (Chroicocephalus ridibundus) tentam a sua sorte, aproximando-se das margens na esperança de encontrarem alguns restos da atividade piscatória. Para norte estende-se a ecopista até à Costa Nova (já no município de Ílhavo), sempre acompanhando o Canal de Mira bem de perto, permitindo-nos sentir a sua dinâmica influenciada pelo ritmo das marés.
Река

Canal de Mira

Na Ria de Aveiro, o Canal de Mira inicia-se junto ao Triângulo Regulador de Correntes e ao Forte da Barra e prolonga-se para sudoeste até ao município de Mira, que lhe dá o nome. No Município de Ílhavo, é no Canal de Mira que se localizam algumas das mais relevantes infraestruturas náuticas e piscatórias da região. Aqui se encontra implantado o Porto de Pesca Costeira de Aveiro, mas também diversos cais e ancoradouros vocacionados quer para as pescas artesanais quer para a náutica de recreio e desportiva, tornando-o num verdadeiro anfiteatro natural para a prática dos desportos náuticos. É nas margens deste canal que se encontram também implantados a grande maioria dos clubes náuticos locais bem como da oferta marítimo-turística. Na parte mais a sul encontra-se também uma vasta área dedicada à mariscicultura. O Canal de Mira corresponde a uma área inserida também na ZPE Ria de Aveiro, propício para a observação de aves limícolas. Nas suas margens encontram-se implantadas a Gafanha da Nazaré (que inclui a Praia da Barra), a Gafanha da Encarnação (que inclui a Praia da Costa Nova) e ainda a Gafanha do Carmo.
Пляж

Praia da Vagueira (Praia Nova)

Маршрутная точка

Pontão da Praia de Labrego

Пляж

Praia do Areão

Маршрутная точка

Dunas do Areão

Река

Canal de Mira

Мост

Ponte do Areão

Маршрутная точка

Circuito Ambiental da Gafanha da Boa Hora

Место наблюдения за птицами

Observatório de Aves

Храмовая архитектура

Igreja de Nossa Senhora da Boa Hora

Дерево

Mata Nacional (Perímetro Florestal das Dunas de Vagos)

Área florestada para conter a fúria dos ventos do Atlântico, fixar o cordão dunar e proteger as terras férteis a nascente, banhadas pelo Rio Boco. À semelhança do que foi feito ao longo da costa portuguesa entre os rios Vouga e Mondego, em 1928 iniciou-se a florestação com Pinheiro-bravo do que viria a ser o atual Perímetro Florestal das Dunas de Vagos (com 865ha) e a Mata Nacional contígua (com 2.290ha), que permitiu a estabilização do campo dunar aqui existente, cujas dunas longitudinais de orientação este-oeste ainda são reconhecíveis ao longo das estradas e caminhos que as acompanham. A gestão florestal desta Mata Nacional é ainda marcada pela existência de diversas casas dos guardas florestais, espalhadas ao longo das vias de comunicação existentes na mata. A área a sul da EM593 (Estrada da Fonte Nova) está incluída na Rede Natura 2000 (Sítio de Interesse Comunitário Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas) e nele encontram-se habitats dunares de elevado interesse para a conservação. Em toda a área do Perímetro Florestal (assim como na Mata Nacional) é possível encontrar uma boa diversidade de cogumelos (durante o outono), matos rasteiros e plantas. De salientar a presença de Narcissus bulbocodium, uma bonita planta, conhecida por Campainhas-amarelas. Várias espécies de aves florestais ocorrem aqui, como o Chapim-de-poupa (Lophophanes cristatus), o Chapim-carvoeiro (Pariparus ater) ou a Coruja-do-mato (Strix aluco); à semelhança de mamíferos, como o noturno Ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus). Ao longo da Estrada Florestal n.º 1, no limite poente no Perímetro Florestal, encontra-se o Parque de Lazer da Vagueira, um conveniente local para descansar ou merendar.
Дерево

Mata Nacional (Perímetro Florestal das Dunas de Vagos)

Пикник

Parque de Merendas da Vagueira

Mar e floresta encontram-se no Parque de Merendas da Gafanha da Vagueira, em Vagos. As mesas e bancos em pedra estão ao dispor de todos que queiram almoçar, petiscar e jantar. Há ainda grelhadores que podem ser usados por todos os que frequentem o parque.

Комментарии

    Вы можете или этот маршрут